História

 

De 1971 aos dias de hoje

A história da Associação de Promoção Social da Castanheira do Ribatejo começa em 1971, durante a industrialização do país e em particular do concelho vila-franquense.

A inexistência de um local onde as mães pudessem deixar as suas crianças para também elas poderem contribuir para o orçamento familiar, levou um grupo de jovens da freguesia a equacionar a possibilidade de criar uma associação com esse fim.

Da intenção à realidade o processo não mais parou e a 15 de Fevereiro desse mesmo ano são publicados, no antigo Diário do Governo, III Série n.º38, os estatutos da APS, que inicia a sua actividade a 6 de Outubro. Os primeiros passos são dados com a abertura de Jardim-de-Infância e Actividades de Tempos Livres, em instalações cedidas pela família Palha. As duas valências tinham capacidade para 40 crianças e quatro funcionárias.

A valência de Creche, também com capacidade para 40 crianças, é inaugurada em 1980, altura em que a associação passa a ter ao seu encargo 150 crianças e a dispor de 23 funcionários.

O ano de 1981 acaba por marcar a história da associação. As obras de ampliação do espaço permitem colocar em funcionamento a valência de ATL e a distinção com a Medalha de Ouro de Mérito do Concelho de Vila Franca de Xira e o reconhecimento como Instituição de Utilidade Pública Administrativa davam-nos a certeza que estávamos no caminho certo.

Entre 1996 e 1999 foi, em parceria com instituições da freguesia, a entidade promotora do projecto “Realojar e Educar em Castanheira do Ribatejo”. Tratou-se de um projecto de intervenção comunitária que visava a integração das famílias carenciadas num bairro de Castanheira do Ribatejo nas suas mais diversas dimensões desde social, económica, cultural, associativa, etc.

No ano de 1997 integrou e desenvolveu o projecto-piloto do Rendimento Mínimo Garantido na freguesia da Castanheira do Ribatejo, que foi um dos projectos pioneiros a nível nacional. È também neste ano que a APS se assume como Instituição Mediadora do Programa Comunitário de Ajuda Alimentar a Carenciados, através da distribuição anual de cerca de 15 mil toneladas de alimentos a famílias necessitadas da freguesia. O programa que ainda hoje se mantém abrange quase 400 pessoas.

A construção de instalações próprias, com todas as condições para utentes e colaboradores, acabou por dominar grande parte da história da associação que só o consegue em 2004. A entrada em funcionamento do seu novo edifício sede a 11 de Setembro desse ano marca o início de uma nova fase da APS que a consegue alargar o leque de actividades e a oferta aos seus utentes.

Para além da actividade de natação que se pratica com os utentes da Instituição há cerca de dez anos, foi possível começar a disponibilizar vários ateliers como a culinária, biblioteca, motricidade, faz-de-conta para as crianças a partir dos dois anos ou aulas de informática, inglês e ginástica, ateliers de ciência e laboratório, hora do conto e expressão plástica para as crianças que frequentam a valência de Actividades de Tempos Livres.

Em Setembro de 2008, e consciente de que se tornava imperioso conseguir dar resposta à lista de espera existente na valência de creche, a APS inaugura um outro edifício, que entrou em funcionamento em pleno a 15 de Setembro. Construída no âmbito da Medida 3.7 e com capacidade para 66 crianças, dos 4 aos 36 meses, a nova creche permitiu criar ainda 16 postos de trabalho.

Já em Setembro de 2010, a associação abriu, na Rua Palha Blanco, duas novas salas de pré-escolar, com capacidade para 50 utentes entre os três e os cinco anos.

Ao longo dos seus 40 anos de acividade, a APS tem procurado responder aos novos desafios, mas sem nunca perder de vista o seu lema inicial: apoiar as famílias no quotidiano e contribuir para a educação e formação dos jovens, preparando-os para o futuro.